Back to top

Adesão à Rede CESOP-Local

Rede de Autarquias

Todas as Câmaras Municipais do país podem aderir à Rede CESOP-Local.

Para que isso aconteça basta assinar a Carta de Princípios e a Carta Compromisso.

Ao aderir recebe o Relatório do Índice de Sustentabilidade Municipal do seu território e passa a ter acesso aos planos de formação e desenvolvimento criados no âmbito da Rede CESOP-Local.

Junte-se a nós!


Contacte-nos!

CESOP-Local

Centro de Estudos e Sondagens de Opinião
da Universidade Católica Portuguesa
Palma de Cima, 1649-023 Lisboa

21 721 4040

cesop@cesop.lisboa.ucp.pt


Leia-nos!

Carta de Princípios

"1. Apostamos no desenvolvimento sustentável como paradigma orientador para a condução das transformações económicas, culturais, políticas e ambientais decorrentes dos processos de globalização.

2. Ajudamos a definir e implementar a agenda local (ODS 2030), criando as condições essenciais para essa implementação, em articulação com os níveis nacional e global.

3. Criamos uma cultura de cidadania, participação ativa e responsabilidade partilhada.

4. Apostamos na tomada de decisão responsiva, inclusiva, participativa e representativa em todos os níveis.

5. Promovemos a responsabilidade social e a participação dos cidadãos e organizações da sociedade civil.

6. Promovemos a solidariedade e a entreajuda entre todos os indivíduos e organizações.

7. Promovemos a gestão sustentável, ambiente urbano e espaços públicos de qualidade, que se ajustem às necessidades dos  diferentes grupos populacionais, tirando partido dos recursos locais e promovendo lógicas de proximidade.

8. Respeitamos a sustentabilidade ecológica e tentamos estar à altura das expetativas e necessidades das comunidades local e global.

9. Valorizamos os recursos endógenos e a atratividade, sem substituir a vontade dos atores locais nem os valores territoriais.

10. Aproveitamos o potencial de inovação ecológica e social da economia, para garantir prosperidade, proteção ambiental e coesão social, nas nossas comunidades.”

 

Carta Compromisso 

“No contexto dos processos de globalização, vários desafios têm sido colocados às pessoas e às instituições, nomeadamente quanto à necessidade de definir novos modelos de desenvolvimento global para a humanidade. A evolução recente tem mostrado que, mais do que uma discussão em torno da ideia de desenvolvimento sustentável, neste momento, é a questão prática de fazer acontecer a transição para a sustentabilidade que está na ordem do dia.

Considerando que é comummente aceite que os contributos dos cidadãos são fundamentais para a definição e hierarquização das necessidades das comunidades bem como como para a eficiente implementação das suas decisões, e que o aproveitamento desses contributos permite às autarquias trabalhar de forma mais eficiente e objectiva, poupando recursos ao Estado, entendendo-se como oportuno e útil para as autarquias aprofundar e desenvolver estudos na área da participação e da sustentabilidade;  

(…)

Considerando que as AUTARQUIAS são a representação político-administrativa das comunidades locais e são instituições públicas vocacionadas para servir o interesse público local materializado nas ambições, preocupações e necessidades dos cidadãos que representam; que exercem um papel fundamental na promoção do desenvolvimento local, nomeadamente: (1) Por disporem de um conjunto relevante de funções cuja implementação pode contribuir para melhorar a qualidade de vida das suas comunidades; (2) Por estarem muito bem posicionadas (proximidade) para influenciar os outros agentes de desenvolvimento e envolverem toda a comunidade; (3) Porque são empregadores e consumidores, com a responsabilidade de organizar de forma sustentável a sua própria unidade produtiva local.

(…)

No âmbito deste compromisso, o CESOP cria uma rede de parceiros para o desenvolvimento local, designada por CESOP-Local. É objectivo da Rede CESOP-Local criar um observatório autárquico para monitorizar o grau de sustentabilidade do território, a dinâmica de envolvimento das partes interessadas e o grau de desempenho da Autarquia. 

(...)” ler mais